Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Recanto da Gata

O Recanto da Gata

[Crónicas do Maravilhoso Reino Saborum Latinorum] Capítulo IV - ...a criminologista, a anaconda...e outras histórias fantásticas!

Lembram-se que a célebre criminologista Agatha Christie, disfarçada de Raquel Mota, escondeu-se entre as colunas marmóreas do salão Nobre, tentando descobrir que mistérios se passavam quando a noite cobria com seu manto negro todo o Reino Encantado... Claro que a curiosidade, por vezes...mata o gato, o cão, o canário...e vai daí, imaginem o terror desta intrépida detective quando o varão de pau preto se transformou numa anaconda fantástica de 10 metros de comprimento, por 5 de largura...bem medidos! Durante algum tempo ela assistiu ao banquete sangrento das pernas, braços, mãos que tinham deslizado dos quadros...e que logo foram engolidas pela anaconda...Mas...aquilo não servia nem para um dentinho do bichinho, temos que compreender...e começando a farejar...huummm..."cheira-me a tenra carne, a carnes cheiinhas...huummm...não pode ser a Cinderela...senão só me cheirava a ossinhos e cintinha de 4 cm...huummm...há por aqui qualquer coisa mais suculenta"...bramia a anaconda! Aterrorizada a detective famosa, tentava esconders-e mais e mais...mas em vão!
AH! aí estás, Raquel! Há tempos que te vejo por aqui e pareces-me bem saborosa..."NÃO ME COMAS! NÃO ME COMAS"...implorava a pobre elfa descontroladamente...COMER-TE?? Dizia a a grande bicha..."eu não vos entendo, Hobbits...ouço por aqui muitas conversas, quando estou por ali de pau-feito...e todos dizem 2ontem comi esta, anteontem comi aquele..."...e sinceramente, sendo eu uma ANACONDA...acho que entre vocês Hobbits do raio...o conceito de "comerem-se" está sobrevalorizado! Como é que se comem...e depois eu vejo-os aparecer, de novo, inteirinhos?? Geralmente as trombas estão um pouco distorcidas...deve ser quando comem...e não gostam...ou quando são comidos...e queriam mais...que sei eu??
Agora eu...quando "como"...huummm. o elfo, fada, duenede...ou que raio de bicho seja, passa-me inteirinha pelas papilas gustativas...ui, aquele sabor inexcedível a medo, a terror...e depois vão inteirinhos para o meu salão paroquial (cabe lá uma paróquia inteira)...onde permanecem, e são diferidos, lenta, lenta...muito lentamente...Ui, est´-se-me a dar uma fome!!
Pronto...já fui, diz a Raquel...Nem penses...isso querias tu..."ser comida, inteirinha"...mas sabes: EU SOU UMA ANACONDA, e só gosto de GAJOS. E...para grande espanto da criminologista, o gigante bicho, começou a chorar..."anda cá, deixa-me dar-te um abracinho e contar-te a minha história...É QUE EU ESTOU APAIXONADA, tão apaixonada...ai, esse Elfo maldito de cabelos brancos a quem vocês chamam de Paulo Soares...deve ser por ele SOAR muito - deixa-me toda cheia de curvas, toda arrepiada nos meus 10 metro de espinhela! Diz-me, linda Raquel, que eu onde estou, ali, sempre de pau feito, não consigo discernir: são mesmo cabelos brancos...ou é CASPA?
A criminologista já se tinha aproximado um pouco cheia de pena do verdadeito sofrimento do bicho (mas abracinho, não...que eu conheço os teus amplexos...) e foi-lhe dizendo...é mesmo cabelo, acredita! Rezam as lendas do Reino, que, quando ele nasceu, uma bruxa má, compareceu ao seu nascimento e rogou-lhe uma terrível praga :" cabelos muitos terás...em muitos e variados sítios...mas brancos eles serão...todos...ou quase todos"!
Mas olha, tens que tentar aproximar-te mais dele - dizia a Raquel, tentando antever a sua fuga..."E achas que não tentei? Um dia, perdi a cauda, e atrevi-me a sair mais cedo (por aqueles cabelos brancos os riscos que eu não correria...) e persegui-o a alta velocidade até à sua terra natalícia...Caldelas, de sue nome ancestral. E fiquei maravilhada: aquela terra era um festival de adrenalina, de aventuras perigosas, levadas ao seu extremo! é que a terra tinha UMA RUA, e incrivelmente...a rua podia-se subir--e descer! E depois - oh aventura intrépida -também se podia descer e subir! Nunca imaginei passara por tais emoções tão fortes! Até emagreci na cauda! E percebe-se porque é este Elfo, tão elegante, tão magrinho...aquela terra PUXA MESMO POR NÓS! Mas ainda há mais...como é possível? Existem por lá umas coisas chamadas de "TERMAS"...e cheio de curiosidade (embora exausto de subri e descer, descer e subir a única rua), fui espreitar...INIMAGINÁVEL! MAIS E MAIS AVENTURA! Estava uma fila de hobbits todos da mesma idade: 152 anos, exctamente, e a todos davam copos e mais copos de AQUA! Aquilo era uma ORGIA que eu nunca imaginara poder existir (nem aqui no Reino Encantado,,,credo que acanhadinhos...vai um copito e chega!)...pois os LOUCOS HOBBITS ingeriam toda aa quela quantidade de bebida espiritual...e depois, ainda insatisfeitos (VICIADOS!) ainda pediam para os encharcarem naqueles líquidos e lhes apontarem uma cano que vazava litros e lirtos por milésmia de segundo...às costas! Claro que de pois saiam para a tal RUA, ébrios, loucos, de tanta felicidade aquosa...e começavam...a subir...e a descer...a descer e a subir. Não aguentei mais tanta adrenalina...e tive que fugir para aqui...o meu Reino onde e ficar a descansar de tanta energia perdida...olha, estive prá'i mais de uma semana muito quietinha, de pau-feito.
E agora, Raquel...tu vais para casa, que eu quero ir pensar no meu Elfo de "cabelos quase todos brancos, talvez em todos os sítios..." e já não estou nada interessada em ti...mas NUNCA VAIS TER A CERTEZA DO QUE AQUI VISTE ESTA NOITE...TERÁS SEMPRE DÚVIDAS... pensa que eu vou estar sempre ali...a olhar-te...e estás tantas vezes de costas pra mim...tu e todos (mal-educados) que se um dia desapareceres de repente...é porque me traíste! Mas ainda te aviso de mais um pequeno pormenor a que ninguém liga (tão cegos que os hobbits, são!): eu tenho uma aliado poderoso; o CHÃO! Sim, o chão "QUE AQUELE DUENDE MÁGICO NÃO PISA, PREFERINDO SEMPRE O AR...O TAL DE André Almeida" está danado convosco...e se reparares há uns buracos no chão...NÃO, NÃO SÃO PARAS AS FADAS DESASTRADAS LÁ TROPEÇAREM COM OS SALTOS...são os respiradouros de seres cruéis, que bem lá nos fundos o habitam...e estão sempre á espera de um palerma que lá tropece...é cada dentada!! Depois vão a correr, dizer que se magoram no buraco (cambada de ingénuos) e pôr Betadine! Ahahahhaah...como adoro este Reino Encantado...!
E...de repente, a Raquel acordou na sua cama...sonhei? foi um pesadelo? Aquele bicho disse-me mesmo na despedida "e trás mais vezes a tua mãe vestida com aquele aventalinho...eu não a como...mas olha que por aí...no chão, quero eu dizer..."? Pois, A QUERIDA CRIMINOLOGISTA NUNCA MAIS SABERÁ A VERDADE, MAS OLHARÁ SEMPRE DE LADO PARA O VARÃO DE PAU-FEITO...E PARA AQUELES ASSOMBRADOS BURACOS NO CHÃO"...
Mas, enquanto isto se passava, outro terrível drama acontecia, por ali, bem perto, na Floresta Encantada, onde domina o "Elfo de olhos verdes, o que roubou toda a cor verde à natureza"...pois andava este encantdo Johny a fazer a patrulha da Floresta Encantada quando vê surgir uma figurinha encantadora, muito rosadinha, de capuz vermelho e que ia cantando "eu vou, eu vou, ver o Lobo Mau, eu vou...". Sim, era o Capuchinho Vermelho. Uma lindissima fada que tinha o dom de levantar um dedo grande do pé...e ficar rosada na face...de erguer um dedo da mão...e ficar rosadinha na outra face! Essa cor, claro, deslizou para a sua roupa...e lá ficou Encarnado o seu capuz. Sim, só pode ser a Mónica Durães, de seu nome ficticio, pois o verdadeiro é mesmo CAPUCHINHO VERMELHO. Onde vais, linda fada? perguntou o Elfo Johny aflito, pois não eram horas decentes para fada alfuma se atrever naquelas florestas! Não me digas: vais ver a tua avózinha, que está doentinha, não é? "Ora...qual avózinha, qual carapuça...isso é para enganar as criancinhas...entendes, Elfo? é para dar um tom didático à coisa...Mas eu não quero saber de didáticas...EU QUERO MESMO É O LOBO MAU! Sabes, quanto mais maus...MELHORES SÃO! huummm...e claro que não levo no meu cestinho comidinha vegetarina, muito saudável...levo aqui meia duzinha de garrafas de bom vinho do Douro colheita especial 1825...vamos os dois apanhar uma piela e divertirmo-nos à brava...XAU, Elfo...fica-te por aí, com as tuas boas intenções..." . E lá continuou a Capuchinho cantando "eu vou, vou...eu tou chegando lobo mau...mi aguarda!". Chegada ao covil do Lobo Mau (que por acaso tinha vagas semelhanças a um tal de Tiago Dias...mas claro que não podia ser...porque esse já entrou na história e é o espião 007...mas...os espiões podem ter várias formas, não?)...o Capuchinho Vermelho ficou preocupada: ele estava deitado na cama de dossel que costuma usar para...(não digo! imaginem...), muito enfartado! ! "Quem andaste a comer, meu traidor?"...oh Capuchinho...desculpa, tu demoraste tanto, e eu estava tão desvairado de fome que papei a primeira criatura que antevi ao lusco fusco...mas tou tão arrependido! Por favor, Capuchinho, abre-me o fecho éclair e retira-me essa terrível criatura que eu ainda bem consegui digerir tal o mal estar provocado... Claro, que hoje em dia, os lobos já não precisam de tesouras ou facas para abris a beriga...eles usam mesmo fechos éclair...muito práticos e vendidos em todas as lojas dos chineses...
Então...o Capuchinho Vermelho abriu o fecho éclair...E FICOU ESPEFACTA! PASMEM, SENHORAS E SENHORES, MENINOS E MENINAS: lá dentro estava o FARSHAM...mas...não estava calado nem aterrorizado...nada! Circunspecto, calmo, de fácis impenetrável...o Farzham, continuava a dar a aula: "um, dôs, tês, catom xinco, xeis, xete"...e repetia "um. dõs, tês, cato, xeis, xete"...por vezes eliminava o "xinco" o que a esta cronista parece bizarro...mas chamam-lhe "ritmos" (para o que a cronista é completamente surda!). mas, ele continuava impararável. "ÁGÒRA as muleres fazem a cópula (?) e os men fazem os 360 graus"...again, and again!!
Bem...as "muléres" fazerem a cópula ao som do "um.dôs, tês..." já é algo muito dificil...mas se os "men" fazem 360 graus...só podem estar enroladinhos como marmotas de rabo na boca (que imagem!)...ISTO SÓ É POSSÍVEL NA PÉRSIA ANTIGA, Farzham! Mas diligentemente, ele continuva a bater os joelhos um no outro e o outro no um...a balançar pernas, braços, tronco...e afins...
Bem, escusado será dizer que a Capuchinho fugiu (sem fechar o fecho éclair...talvez na esperança de que o Lobo ...que já estava tão maluco que já nem era Mau...) o quisesse voltar a engolir! Mas o Reino Encantado nunca mais seria o mesmo, sem as contagens fantásticas, vindas da longinqua Pérsia...nem o bater dos joelhos, nem...nem as músicas country-salsa!
Ah, mas antes de o capuchinho Mónica, conseguir fugir, ainda o nosso belo mocetão Farzham (sim, que o é...não podemos é tocar-lhe...parece que se lhe tocarmos, dá-se uma reação quimica, fisica, astronómica...e ele desvanece-se no ar...NÂO TOCAR...é o cartaz que ele traz sempre!), pois ele virou-se para a fada e disse-lhe circuspectamente: "avisa a Imperatriz Graça, que deve ter havido uma falha na luz...por momentos fiquei a dar o ensaio às escuras...mas diz-lhe que continuei Sempre"!...e nós não sabemos que assim é???????

A cronista do Reino (ontem...não houve...a crónica ficou ainda maior! é o vosso castigo!)